terça-feira, 24 de abril de 2012

Uma vergonha "plus size": Empresária de moda Alice Ferraz vira trending topic no Twitter por "preconceito contra gordinhas"

Como uma mulher "plus size", como lidar com um comentário absolutamente infeliz como esse? Ainda mais vindo da empresária responsável pela "maior rede de blogs fashionistas do Brasil?
Como lidar, meu povo?

"A empresária Alice Ferraz virou assunto no Twitter e entrou para o trending topic brasileiro nesta segunda-feira (23). O burburinho se deu em virtude de uma matéria publicada pela Istoé Dinheiro na sexta-feira (20), onde a dona da rede de blogs F*Hits revela que para se cadastrar em sua plataforma de comércio eletrônico (F*Hits Shops), a consumidora precisa “usar roupas menores que o tamanho 46”, caso contrário, o acesso pode ser negado.

Segundo a matéria, Alice Ferraz explica que o sistema de aprovação foi escolhido “para não prejudicar a qualidade do atendimento”. No Twitter, várias pessoas protestam a atitude da mulher, tachada de Miranda Priestly da internet brasileira (como menção ao personagem de Meryl Streep no filme "O Diabo Veste Prada"), alegando preconceito contra as gordinhas e contra a moda plus size.

A empresária ainda conta à revista que certa vez descobriu que o cadastro da mulher do Pedro Grandene, vice-presidente da Grandene, não tinha sido aceito, e exigiu que sua equipe a aprovasse de alguma maneira, o que ainda agravou as críticas no Twitter, com comentários do tipo: “E o critério da tal da Alice Ferraz: a dondoca que vestia 46 não podia entrar porque era gorda, mas foi aceita quando souberam que era rica”.

Os internautas soltaram a hashtag #46nãoentra para protestar contra Alice e alguns famosos como Hugo Gloss e Preta Gil já comentaram sobre o assunto. “Sou uma mulher feliz e realizada vestindo 44 e algumas vezes 46, como eu sempre digo: Gordura não mede CARATER. Eu sempre falo que sou contra esse rotulo de moda Plus Size, falo com meus amigos estilistas que o certo é a grade ter numeração maior. Pra que ter mais um rótulo Plus Size ? temos o direito como mulheres consumidoras e lindas de entrar em qualquer loja e comprar!”, escreveu a cantora, lançando a nova hashtag "46 é luxo".

A Istoé Dinheiro acrescentou à matéria o seguinte “esclarecimento”, em resposta ao furor gerado no Twitter:

A F*Hits enviou um comunicado à redação nesta segunda-feira 23 com esclarecimentos sobre o trecho da matéria que se refere às peças tamanho 46.Na mensagem, a rede afirma que o fato de não comercializar roupas acima desse tamanho não é uma decisão da empresa. “Não conseguimos comprar peças com esse tamanho; por isso não vendemos”, diz a companhia.


Sobre Alice Ferraz

Alice Ferraz é um dos principais nomes do mercado de moda do Brasil atualmente. Ela é sócia-fundadora do Grupo F, que inclui empresas de relações públicas e dirige produções para grifes, e dona da rede de blogs F*Hits, que já reúne 25 blogs de moda e recentemente ganhou uma plataforma própria de comércio, a F*Hits Shops - causadora de toda a polêmica que certamente está deixando a “Miranda Priestly da internet” de cabelos em pé.

Leia a matéria da Istoé na íntegra aqui."

2 comentários:

ReMoTa disse...

Para quem tem uma empresa de relações públicas, ela é uma péssima representante, heim? Mas é como dizem: "melhor ler uma merda dessas que ser cega".

Saudades suas, mocinha! Como está a vida paulistana?

Vou passar uns dias em Sumpa. Ai, que saudade dessa cidade!!!

Beijocasssss!

http://mariagastadeira.blogspot.com

Lady Dark disse...

eu sou da mesma opinião da Preta Gil... é OBRIGAÇÃO as marcas terem as numerações maiores.

Estudos já comprovam o que todo mundo sabia mas não tinha coragem de dizer: o brasileiro está mais 'cheinho' e além do mais, é o FIM eu ter o $$ pra comprar o que eu quiser, entrar numa loja metida a chique e não poder comprar nada por que EU (=CONSUMIDOR) tenho que me adaptar a eles...

Por isso que vou no povão.. lá não importa se eu visto 46 ou 38, importa se eu tenho GRANA pra pagar.

#46éLuxo

=***
http://novoladob.blogspot.com.br